Caminho do coração

Como fazer parte da Rede Mundial de Oração do Papa? 

O itinerário do Apostolado da Oração (AO) e os temas da nossa proposta espiritual apresentam-se como uma escola do coração. Através das suas nove etapas, este itinerário conduz-nos à identificação com o pensar, o querer e os projetos de Jesus. As citações da Palavra de Deus e de outros textos que acompanham cada parágrafo narram-nos o imenso amor de Deus por cada um de nós e por toda a humanidade. Deverão ser acolhidas num silêncio orante e admirado, pois falam da nossa história com Ele. É-nos proposta uma aliança de amor pessoal com o Ressuscitado e o oferecimento da nossa disponibilidade diária para colaborar com Ele na Sua missão, como Seus apóstolos. Postos ao serviço da Sua Igreja, somos enviados a tornar presente no mundo o amor compassivo de Deus. Estas páginas apresentam uma visão unificadora do caminho do AO, as suas linhas de orientação interior, convidando-nos a entrar na sua rede mundial de oração.

Step 1
1

No princípio está o amor

  • Amei-te com amor eterno... (Jeremias 31,3) 
  • Acaso uma mãe esquece ou deixa de amar o seu próprio filho? Mas ainda que ela o esquecesse, Eu não te esqueceria, diz o Senhor. Gravei-te na palma da minha mão… (Isaías 49, 15)
  • Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos primeiro a Deus, mas foi Ele que nos amou e nos enviou o seu Filho... (1 João 4,10) 
  • Deus nos escolheu em Cristo antes da criação do mundo... (Efésios 1,4) 
  • Nada nos pode separar do Amor que Deus nos mostrou em Cristo Jesus, nosso Senhor! (Romanos 8,39)

A Palavra primeira e permanente da nossa vida de fé é o amor eterno do Pai. É o que Ele continuamente nos está a querer dizer e reflecte-se em tudo aquilo que faz por nós em cada dia: Amo-te. É a sua essência “Deus é amor” (1Jo 4,8), não pode não amar-nos. O AMOR é o modo como Deus nos olha e acompanha sempre, independentemente do rumo que a nossa vida tenha tomado, ainda que nos tenhamos afastado d’Ele por causa do pecado. O Seu amor é incondicional e imutável. É o princípio e o fundamento do nosso caminho espiritual, pois a nossa vida tem início graças ao Seu amor, é sustentada por Ele e um dia irá ser recebida no Seu amor. Reconhecer esse amor leva-nos a corresponder-lhe.

Step 2
2

O Coração humano, inquieto e necessitado

  • Senhor, sois o meu Deus, desde a aurora Vos procuro. A minha alma tem sede de Vós como terra árida, sequiosa, sem água. (Salmo 62,1) 
  • Do profundo abismo clamo por Vós, Senhor. Senhor, escutai a minha voz... (Salmo 130,1) 
  • Bem-aventurados os pobres de coração, porque deles é o Reino de Deus. (Mateus 5,3) 
  • Onde te escondestes meu amado, deixando-me a gemer?... (São João da Cruz, Cântico Espiritual) 
  • Criaste-nos para Ti Senhor, e o nosso coração está inquieto enquanto não repousa em Ti. (Santo Agostinho, Confissões) 

Desejamos a felicidade e buscamo-la de várias maneiras. Recebemos de Deus o dom de amar e de viver a vida com generosidade. No entanto, muitas vezes sentimo-nos pobres e desorientados, entre frustrações e desejos mais profundos, incapazes de resolver a nossa crise pessoal e encontrar a paz interior. Propomos aqui um itinerário de fé, de oração e de vida, adequado a quem está em busca interior, reconhece a sua necessidade espiritual e quer receber Jesus Cristo no seu coração. É o caminho dos humildes, onde a própria fraqueza e vulnerabilidade não são um impedimento, mas sim o melhor capital para o encontro com um Deus que se inclina para o pobre.

Step 3
3

Num mundo sem coração

  • E Deus viu que tudo o que tinha feito era muito bom (Génesis 1,31) 
  • O meu povo cometeu um duplo pecado: abandonando-me a mim, fonte de água viva, e fizeram as suas as próprias cisternas, cisternas rotas, que não retêm água. (Jeremias 2,13) 
  • Andarão errantes do oriente ao ocidente, vagueando de norte a sul, buscando a palavra do Senhor, e não a encontrarão. (Amós 8,12) 
  • Por que dormes, Senhor? Desperta, desperta! Não nos rejeites para sempre! Por que te escondes? Por que Te esqueces de nós, que sofremos tanto, tanto? (Salmo 44,23-24) 
  • Veio ao que era Seu, e os Seus não O receberam. (João 1,11)

Contemplamos com admiração a beleza do nosso mundo e os grandes feitos realizados pela inteligência humana ao longo da história. Mas o mundo em que vivemos está também ferido por dolorosas contradições que causam morte e destruição. A vida e o amor são muitas vezes afogados pela violência e pelo egoísmo. Os pequenos e mais vulneráveis sofrem a agressão dos poderosos, os recursos naturais são devastados, há tristeza e solidão. Separamo-nos dos caminhos do amor de Deus e do Seu projecto para a humanidade.

Step 4
4

O Pai envia o Seu Filho para

  • Vou fazer algo novo, e já está a nascer, não o notam? (Isaías 43,19) 
  • Vi como sofre o meu povo que está no Egipto. [...] Por isso desci para salvá-los das mãos dos egípcios... (Êxodo 3,7-8) 
  • Fui Eu quem ensinou Efraim a andar, e o levei nos meus braços... com correias de amor os atraía, com cordas de carinho. (Oseias 11,3-4) 
  • Em Cristo, Deus reconciliou consigo o mundo, sem ter em conta os pecados dos homens (2 Coríntios 5, 19)
  • O Espírito vem em auxílio da nossa fragilidade (Romanos 8,26)
  • Deus amou tanto o mundo que lhe deu o Seu Filho único (João 3, 16)
  • O Filho do Homem veio buscar e salvar o que andava perdido (Lucas 19,10)

O Pai não nos abandonou neste mundo sem coração. Falou-nos do Seu amor muitas vezes e de muitos modos através dos profetas e nestes tempos que são os últimos fê-lo através do Seu Filho feito homem, Jesus, o Cristo (cf. Hebreus 1,1). N’Ele, o Pai uniu a nossa história à Sua, para restaurar a criação e para curar a nossa humanidade ferida. N’Ele, que deu a Sua vida por nós na cruz e a Quem o Pai ressuscitou dos mortos, perdoou os nossos pecados. N’Ele, o amor ardente de Deus vem ao nosso encontro, determinado em nos salvar. Junto d’Ele aprendemos a reconhecer o Espírito de Deus a agir no nosso mundo, fazendo nascer algo novo, mesmo entre sofrimentos e dificuldades.

Step 5
5

Chama-nos Seus amigos

  • Eu te chamei pelo nome, tu és meu. Tu tens um grande preço aos meus olhos, és precioso e eu te amo. (Isaías 43, 1 e 4) 
  • Em seguida, Jesus subiu ao monte e chamou os que Ele quis. Uma vez reunidos, escolheu doze de entre eles, para estar com Ele e para os enviar a pregar a boa nova. A estes Ele deu o nome de apóstolos... (Marcos 3,13-14) 
  • Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Mas chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. (João 15,15) 
  • Voltando-se, Pedro viu que os seguia o discípulo a quem Jesus amava, o mesmo que na ceia se tinha inclinado sobre o peito de Jesus (João 21,20). 
  • Eu estarei convosco todos os dias, até ao fim do mundo. (Mateus 28,20)
  • Jesus pode salvar completamente aqueles que se aproximam de Deus por meio d’Ele, já que Ele vive para sempre para interceder por nós. (Hebreus 7,25) 
  • Se alguém quer vir após mim, deve contentar-se em comer como eu e, assim, beber e vestir, etc. Do mesmo modo há-de trabalhar comigo de dia e vigiar de noite (Exercícios Espirituais de Santo Inácio, 93) 

Jesus Cristo chama-nos Seus amigos e convida-nos a uma aliança de amor pessoal, íntima e afectiva com Ele. Está sempre vivo para interceder por nós, activamente empenhado em nos atrair para Ele, pois somos preciosos a Seus olhos. A amizade com Ele leva-nos a olhar o mundo com os Seus olhos, a sofrer com os Seus sofrimentos e a alegrar-nos com as Suas alegrias, a oferecer as nossas pessoas para trabalhar com Ele em favor dos nossos irmãos e irmãs. Ele está connosco todos os dias, até ao fim do mundo.

Step 6
6

Habitados por Cristo

  • Naquele dia compreendereis que Eu estou no meu Pai, e vós em mim e Eu em vós (João 14,20) 
  • ... viremos a ele e faremos nele a nossa morada (João 14,23) 
  • Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós... Permanecei no amor que vos tenho. (João 15, 4 e 9) 
  • Não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim (Gálatas 2,20) 
  • Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? (1 Coríntios 3,16-17) 
  • Se o que ouviram desde o princípio permanece nos seus corações, também vós permanecereis no Filho e no Pai. (1João 2,24)
  • Para que Cristo habite nos seus corações mediante a fé... (Efésios 3,17) 
  • Nós reflectimos a glória do Senhor, e vamo-nos transformando à sua própria imagem... (2 Coríntios 3,18)

No excesso do Seu amor por nós, Deus deseja habitar nos nossos corações. É a surpreendente promessa que Cristo fez aos seus amigos antes de morrer. Deus quer estabelecer a Sua morada em cada um de nós. S. Paulo dá testemunho disso ao dizer: não sou eu que vivo mas é Cristo que vive em mim. É o horizonte definitivo para o qual o Espírito quer levar o cristão. É a identificação total com Cristo em corpo, alma e espírito. É o que desejamos e pedimos em cada dia, com coração de pobre, sabendo que alcançar esta graça nunca será fruto apenas dos nossos esforços. Acreditamos que esta identificação com Cristo nos é dada de modo privilegiado na Eucaristia. Ele mesmo vem a nós no Seu Corpo e no Seu Sangue e modela-nos interiormente segundo o Seu Coração, a fim de sermos e agirmos como Ele.

Step 7
7

Damos a vida com Ele

  • O Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza. (Romanos 8,26) 
  • Esta pobre viúva deu mais do que todos os outros... porque na sua pobreza, deu tudo o que tinha para viver. (Marcos 12,43-44) 
  • Depois, tomou o pão em suas mãos e deu graças a Deus, partiu-o e entregou-lho, dizendo: Isto é o meu corpo entregue à morte por vós. Fazei isto em memória de mim. (Lucas 22,19) 
  • Eis a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra. (Lucas 1,38) 
  • Peço-vos pela misericórdia de Deus, que ofereçais os vossos corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Este é o verdadeiro culto que deveis oferecer. (Romanos 12,1) 
  • Então eu disse: Eu venho, ó Deus, para fazer a tua vontade (Hebreus 10,9) 
  • Tomai Senhor, e recebei toda a minha liberdade, a minha memória, o meu entendimento e toda a minha vontade, tudo o que tenho e tudo o que possuo. Vós mo destes, a Vós, Senhor o restituo. Tudo é vosso. Disponde de tudo segundo a Vossa inteira vontade. Dai-me o Vosso amor e a Vossa graça, que esta me basta. (Santo Inácio, Exercícios Espirituais, 234)

Unir a vida a Cristo leva-nos a dar a vida pelos outros tal como Ele o fez. Faz-nos descobrir que, apesar da nossa pobreza e limitação, a nossa vida é útil aos outros. Saber-nos amados, escolhidos e habitados por Ele, dá-nos dignidade, enche-nos de gratidão e torna-nos capazes de responder a tanto bem recebido oferecendo a própria vida em disponibilidade à sua missão. Oferecemo-la agindo contra o egoísmo e o comodismo que muitas vezes frustram o desejo de Deus em nós. O Senhor convida-nos a dar-Lhe o nosso sim generoso, como o fez Maria de Nazaré. Não quer salvar-nos nem mudar o mundo sem nós. Ainda quando nos pareça pouco, oferecer-Lhe a nossa disponibilidade torna-se útil para os outros, porque o Pai associa esse oferecimento à vida e ao Coração de Seu Filho, que se oferece por nós na cruz. Postos com Jesus, tornamo-nos mais próximos do sofrimento do mundo e procuraremos responder como Ele o fez. Expressamos ao Pai esta disponibilidade, através de uma oração de oferecimento diária. Humildemente pedimos ao Espírito para não sermos obstáculo à sua ação. Inspiramo-nos e alimentamo-nos de modo especial da celebração da Eucaristia, na qual reconhecemos a oferta perfeita de Cristo ao Pai, modelo da nossa vida oferecida.

Step 8
8

Uma missão de compaixão

  • O Senhor enviou-me a curar os corações feridos. (Isaías 61,1) 
  • Se não desviares o teu rosto a um pobre, também Deus não afastará de ti o Seu rosto. (Tobias 4,7) 
  • Tende entre vós os mesmos sentimentos do Coração de Jesus (Filipenses 2,5) 
  • Jesus teve compaixão do leproso, estendeu a mão e tocando-o, disse-lhe: quero, fica limpo. (Marcos 1,41) 
  • O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para anunciar a boa nova aos pobres... (Lucas 4,18) 
  • Contemplar como as três pessoas Divinas observavam toda a planície ou redondeza de todo o mundo [...] O primeiro ponto é ver as pessoas, umas e outras, e em primeiro lugar os da face da terra, em tanta diversidade, assim em trajes como em gestos: uns brancos e uns negros, outros em paz e outros em guerra, uns chorando e outros rindo, uns sãos outros enfermos, uns nascendo e outros morrendo, etc. (Santo Inácio, Exercícios Espirituais, 102 e 106) 

Deus, o Pai de Jesus e nosso Pai, quer fazer presente a Sua compaixão no mundo em nós e através de nós, seus discípulos. Somos convidados a fazer nosso o Seu olhar sobre a humanidade e agir com os sentimentos do Coração de Jesus. Somos enviados com Ele, de diferentes modos, às periferias da existência humana, ali onde homens e mulheres sofrem a injustiça, para ajudar a sustentar e curar aqueles que têm um coração ferido. Mesmo que estejamos limitados por alguma doença ou impedidos fisicamente, mesmo quando nos sintamos incapazes de mudar as estruturas injustas da nossa sociedade, participamos nessa missão, fazendo nosso o olhar compassivo de Deus para com todos os nossos irmãos e irmãs. Uma vez que fomos tocados pela compaixão de Deus, agora podemos dá-la aos outros. É a nossa resposta ao seu amor por nós (reparação). Vamos para além das fronteiras visíveis da Igreja, porque onde houver compaixão, aí está o Espírito de Deus. Unimo-nos espiritualmente a todos aqueles que, em diferentes culturas ou tradições religiosas, são dóceis a este Espírito e se mobilizam para aliviar o sofrimento dos mais fracos.

Step 9
9

Uma rede mundial de oração e serviço atenta às necessidades da humanidade

  • Não fiquem em silêncio aqueles que invocam o Senhor, não O deixem descansar... até que rompa a aurora da sua justiça e a sua salvação brilhe como uma tocha. (Isaías 62,1.6-7) 
  • Abraão perguntou: Irás destruir o inocente juntamente com o culpado? Talvez haja cinquenta justos na cidade [...] E disse o Senhor: Em atenção a esses cinquenta [ou quarenta, ou trinta, ou vinte ou dez], não destruirei a cidade. (Génesis 18,22-33) 
  • Os apóstolos reuniam-se sempre para orar com algumas mulheres, com Maria, a Mãe de Jesus, e com seus irmãos. (Actos 1,14) 
  • Assim Deus fará de vós, como pedras vivas, um templo espiritual, um sacerdócio santo capaz de oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo. (1 Pedro 2,5) 
  • Depois disto, o Senhor designou outros setenta e dois e enviou-os dois a dois à sua frente a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir. (Lucas 10,1)
  • A paz esteja convosco! Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós. (João 20,21)

O Apostolado da Oração é uma rede mundial de oração ao serviço dos desafios da humanidade e da missão da Igreja, que reconhecemos nas intenções mensais de oração propostas pelo Papa. Estas intenções expressam as preocupações do Santo Padre sobre o mundo e a Igreja de hoje, e orientarão a nossa oração e a nossa acção durante esse mês. Esta rede é constituída por aqueles que, através do oferecimento quotidiano das suas vidas se fazem disponíveis para colaborar na missão de Cristo Ressuscitado em qualquer situação ou estado de vida em que se encontrem. O chamamento à missão é o fogo que nos faz apóstolos enviados desde o Coração do Pai ao coração do mundo. São convidados para esta rede, em primeiro lugar, católicos de diversos países e culturas, de diversas famílias e sensibilidades espirituais. A riqueza e a variedade da tradição do AO põem-se ao serviço da unidade da Igreja. Também outros são convidados a fazer parte desta rede de diversos modos: os desafios que envolvem as intenções do Papa abrem-nos a colaborar com outros cristãos e com todo aquele que deseja paz e fraternidade no mundo.

Step 1 1
No princípio está o amor
Step 2 2
O Coração humano, inquieto e necessitado
Step 3 3
Num mundo sem coração
Step 4 4
O Pai envia o Seu Filho para
Step 5 5
Chama-nos Seus amigos
Step 6 6
Habitados por Cristo
Step 7 7
Damos a vida com Ele
Step 8 8
Uma missão de compaixão
Step 9 9
Uma rede mundial de oração e serviço atenta às necessidades da humanidade