Julho 1, 2021
25263 rezaram

Rezemos para que, nas situações de conflitos sociais, económicos e políticos, sejamos artífices corajosos e apaixonados do diálogo e da amizade.

Oração

Senhor Jesus,
Filho do Pai, que chamaste “teus amigos”
aos primeiros Doze,
amando as suas fragilidades,
não levando em conta as suas traições e indignidades.
Estamos diante de ti,
desejando responder com fidelidade
à amizade que hoje nos ofereces;
também com as nossas debilidades e medos.
Fortalece-nos com o teu Espírito Santo,
como a Filipe e Pedro,
para nos decidirmos por ti, pela tua amizade,
pelo teu projeto de fraternidade e amizade social;
aprendendo a viver em harmonia uns com os outros,
abertos ao diálogo e valorizando as nossas diferenças.
Ámen.

Oração de oferecimento
Pai de bondade, eu sei que estás comigo.
Aqui estou neste dia.
Coloca mais uma vez o meu coração
junto ao Coração do teu Filho Jesus,
que se entrega por mim e que vem a mim na Eucaristia.
Que o teu Espírito Santo
me faça seu amigo e apóstolo, disponível para a sua missão de compaixão.
Coloco nas tuas mãos
as minhas alegrias e esperanças,
os meus trabalhos e sofrimentos,
tudo o que sou e tenho,
em comunhão com meus irmãos e irmãs desta rede mundial de oração.
Com Maria, ofereço-Te o meu dia
pela missão da Igreja
e pelas intenções de oração do Papa e do meu Bispo para este mês.

Atitudes

  • Valorizar e acolher as diferenças:
    “O diálogo social autêntico pressupõe a capacidade de respeitar o ponto de vista do outro” (Fratelli tutti, 203). Tenta criar momentos de diálogo sincero para valorizar e acolher as diferenças dos demais. Procura ser ponte entre opiniões diferentes ou em situações de conflito da tua vida quotidiana.
  • Dialogar com sinceridade e caridade:
    Francisco diz-nos que “aproximar-se, expressar-se, ouvir-se, olhar-se, conhecer-se, esforçar-se por se entender, procurar pontos de contacto: tudo isto se resume no verbo «dialogar»” (Fratelli tutti, 198). Procura espaços de encontro com os teus irmãos e irmãs de comunidade, trabalho ou grupos sociais.
  • Incluir e apostar nos processos:
    “As circunstâncias em que vivemos não mudarão de imediato. Podemos, no entanto, olhar a realidade de um modo novo, podemos viver com paixão renovada os desafios na construção do bem comum” (Papa Francisco, 4/4/19, Comissão para a América Latina). De que modo podes construir o bem comum na tua comunidade? Como acompanhas e apostas em processos de mudança, crescimento e discernimento?
  • Sentir com o outro:
    Francisco diz-nos que a amabilidade “facilita a busca de consensos e abre caminhos onde a exasperação destrói todas as pontes” (Papa Francisco, Fratelli tutti, 224). És amável e capaz de sentir empatia com as pessoas que te rodeiam. Reflete sobre formas concretas de gerar uma cultura do encontro com os teus irmãos e irmãs.
Junho 1, 2021
25089 rezaram

Rezemos pelos jovens que se preparam para o matrimónio com o apoio de uma comunidade cristã, para que cresçam no amor, com generosidade, fidelidade e paciência.

Oração

Senhor, Pai bondoso, que, no teu Filho Jesus, nos manifestaste
o rosto do amor incondicional de um esposo fiel,
hoje oferecemos-te a vida de tantos jovens
que de ti receberam a vocação ao matrimónio.
Que o teu Espírito Santo os guie e molde os seus corações
para que cresçam juntos num amor que se faz caminho paciente,
entrega diária generosa, fidelidade provada, fecundidade alegre.
Ilumina as nossas comunidades para que os acompanhem
com prudência na construção do seu projeto comum,
estando a seu lado nos seus questionamentos e na sua fé.

Oração de oferecimento
Pai de bondade, eu sei que estás comigo.
Aqui estou neste dia.
Coloca mais uma vez o meu coração
junto ao Coração do teu Filho Jesus,
que se entrega por mim e que vem a mim na Eucaristia.
Que o teu Espírito Santo
me faça seu amigo e apóstolo, disponível para a sua missão de compaixão.
Coloco nas tuas mãos
as minhas alegrias e esperanças,
os meus trabalhos e sofrimentos,
tudo o que sou e tenho,
em comunhão com meus irmãos e irmãs desta rede mundial de oração.
Com Maria, ofereço-Te o meu dia
pela missão da Igreja
e pelas intenções de oração do Papa e do meu Bispo para este mês.

Atitudes

  • Valorizar e mostrar a vocação matrimonial.Tirarei algum tempo para conversar com jovens que me sejam próximos e tenham vocação ao matrimónio, escutar as suas inquietações e dar esperança neste caminho. Encarno na minha vida aquilo de que falo. “Precisamos de encontrar as palavras, as motivações e os testemunhos que nos ajudem a tocar as cordas mais íntimas dos jovens, onde são mais capazes de generosidade, de compromisso, de amor e até mesmo de heroísmo, para convidá-los a aceitar, com entusiasmo e coragem, o desafio de matrimónio” (Papa Francisco, Amoris laetitia, n.º 40).
  • Crescer com paciência no caminho do amor. Dialogarei com quem amo, tirando tempo para pensar e sentir antes de falar e agir com ternura. “No horizonte do amor, essencial na experiência cristã do matrimónio e da família, destaca-se ainda outra virtude, um pouco ignorada nestes tempos de relações frenéticas e superficiais: a ternura” (Papa Francisco, Amoris laetitia, n.º 28).
  • Ser fiéis nas dificuldades. Nas dificuldades, olharei com amor a história percorrida em comum, perdoando-nos e criando futuro juntos. “No mundo atual, aprecia-se também o testemunho dos cônjuges que não se limitam a perdurar no tempo, mas continuam a sustentar um projeto comum e conservam o afeto” (Papa Francisco, Amoris laetitia, n.º 38).
  • Caminhar com abertura, verdade e generosidade. Estarei disponível para dar um passo de cada vez, sem ter a pretensão de conseguir tudo ao mesmo tempo, dando lugar ao outro e mostrando com amor os meus sentimentos e opiniões. “As crises conjugais são enfrentadas muitas vezes de modo apressado e sem a coragem da paciência, do questionar-se, do perdão recíproco, da reconciliação e até do sacrifício” (Papa Francisco, Amoris laetitia, n.º 41).
  • Alegres na entrega e na vida partilhada. Deixarei passar alegremente o desconforto que o outro gera em mim, fortalecendo a união. “Os esposos nunca estarão sós, com as suas próprias forças, a enfrentar os desafios que surgem. São chamados a responder ao dom de Deus com o seu esforço, a sua criatividade, a sua perseverança e a sua luta diária, mas poderão sempre invocar o Espírito Santo que consagrou a sua união, para que a graça recebida se manifeste sem cessar em cada nova situação” (Papa Francisco, Amoris laetitia, n.º 74).
Maio 1, 2021
27841 rezaram

Rezemos para que os responsáveis das finanças colaborem com os governos para regulamentar a esfera financeira e proteger os cidadãos dos seus perigos.

Oração

Senhor Jesus, Filho do Pai, que defendeste os pobres
submetidos às injustiças económicas do teu tempo,
apresentamos diante de Ti os nossos irmãos que sofrem
as consequências negativas de uma economia financeira
que alimenta a especulação sem trabalho e afoga a verdadeira
Economia, centrada nas pessoas que trabalham.
Esta injustiça que esmaga os mais frágeis deixa-nos indignados!
Que o teu Espírito abrande o coração dos responsáveis por esta situação,
de modo a usarem o poder para proteger e cuidar dos mais desfavorecidos.
E a nós, dá-nos um coração grande, capaz de partilhar
o fruto do nosso trabalho, aliviando o sofrimento.
Ámen.

Oração de oferecimento
Pai de bondade, eu sei que estás comigo.
Aqui estou neste dia.
Coloca mais uma vez o meu coração
junto ao Coração do teu Filho Jesus,
que se entrega por mim e que vem a mim na Eucaristia.
Que o teu Espírito Santo
me faça seu amigo e apóstolo, disponível para a sua missão de compaixão.
Coloco nas tuas mãos
as minhas alegrias e esperanças,
os meus trabalhos e sofrimentos,
tudo o que sou e tenho,
em comunhão com meus irmãos e irmãs desta rede mundial de oração.
Com Maria, ofereço-Te o meu dia
pela missão da Igreja
e pelas intenções de oração do Papa e do meu Bispo para este mês.

Atitudes

Viver com uma feliz sobriedade:
“A acumulação constante de possibilidades para consumir distrai o coração e impede de dar o devido apreço a cada coisa e a cada momento” (Papa Francisco). Para e dá valor ao que tens. Francisco convida-nos a: “parar a saborear as pequenas coisas, agradecer as possibilidades que a vida oferece sem nos apegarmos ao que temos nem nos entristecermos por aquilo que não possuímos” (Laudato Si, 222).

Partilhar os bens:
“Não se criam, de forma suficientemente rápida, instituições económicas e programas sociais que permitam aos mais pobres terem regularmente acesso aos recursos básicos” (Papa Francisco, Laudato Si, 109). Procura alguma organização ou instituição de beneficência com a qual possas colaborar por meio de um donativo que ajude a sustentar as suas atividades.

Agir em favor do bem comum:
“Uma ecologia integral exige que se dedique algum tempo para recuperar a harmonia serena com a criação, refletir sobre o nosso estilo de vida e os nossos ideais» (Papa Francisco, Laudato Si, 225). Reflete e propõe formas de colaborar no cuidado da nossa casa comum. Informa-te sobre ações que possas realizar para cuidar do meio ambiente e trabalhar por uma ecologia integral.

Usar o dinheiro com discernimento:
“Dado que o mercado tende a criar um mecanismo consumista compulsivo para vender os seus produtos, as pessoas acabam por ser arrastadas pelo turbilhão das compras e gastos supérfluos” (Papa Francisco, Laudato Si, 203). Dedica algum tempo a pensar no modo como aplicas diariamente o teu dinheiro, em que coisas mais gastas e como poderias colaborar economicamente com os mais necessitados.