Reza cada dia

Setembro 26 2021

Setembro 26 Manhã

4 rezaram

Com Jesus pela Manhã

Neste dia que hoje se inicia, rezemos pelos refugiados, que abandonam a sua terra muitas vezes apenas com a roupa do corpo. Neste dia Mundial do Migrante e do Refugiado, diz o Senhor no Evangelho: “Quem não é contra nós, está connosco” (Mc 9, 40). Num mundo em que é tão fácil ver o diferente de mim como alguém que está “contra nós”, peço ao Senhor o dom de um olhar limpo e renovado, capaz de ver os outros a partir de um coração humilde e desejoso de integrar. Por interceção de Maria, também ela imigrante com a Sagrada Família no Egito, ofereço o meu dia pelas intenções do Santo Padre, rezando Avé Maria…

Setembro 26 Manhã

Setembro 26 Tarde

3 rezaram

Com Jesus à Tarde

“O entusiasmo é a maior força da alma. Conserva-o e nunca te faltará poder para conseguires o que desejas” (Napoleon Hill). Entusiasmo significa ter a Deus dentro de si. É uma força que transforma a nossa vida, empolga, dá vigor a tudo o que fazemos. O primeiro passo do entusiasta é acreditar em si mesmo. Ele acredita nas suas capacidades, nos seus sonhos. É alguém que cultiva emoções positivas, aprende agradecer pelas pequenas conquistas do dia a dia e afasta-se dos murmúrios e reclamações. O entusiasmo contagia as pessoas, transmite alegria. Sou uma pessoa entusiasmada pela vida? Sinto entusiasmo nas coisas que faço?

Setembro 26 Tarde

Em 26 de setembro iremos celebrar a 107ª Jornada Mundial do Migrante e do Refugiado, que todos os anos a Igreja convoca para fazermos uma reflexão sobre o fenômeno da migração, mas sobretudo a situação em que essas pessoas se encontram, quando são forçadas a migrar. Por que elas deixam seus países de origem? Que encontram pelo caminho? Que tratamento elas recebem nos países onde chegam? Como as sociedades se organizam para entender essa realidade e responder às demandas que elas apresentam? As Igrejas locais estão preparadas para ir ao seu encontro e demonstrar, em palavras e obras, o amor cristão?

Desde 1914, quando estavam começando os conflitos da I Guerra Mundial, o Papa Bento XV preocupou-se com a assistência das famílias migrantes italianas que partiam em busca de um país seguro onde aportarem e protegerem suas vidas. Desde lá, cresceu a preocupação dos seguintes pontífices, que além de cuidar das questões práticas da assistência dessas pessoas, passaram também cada ano a oferecer uma mensagem, uma reflexão dirigida a toda a humanidade. Trata-se sempre de uma mensagem de esperança a todas essas pessoas forçadas a migrar, mas também de questionamentos sobre as sociedades e o mundo que estamos construindo, os riscos e violências a que elas estão expostas quando deixam suas casas.

O início do pontificado do Papa Francisco coincidiu com o envio da centésima mensagem dessa jornada, que foi celebrada no dia 14 de janeiro de 2014. Devido o mês de janeiro ser geralmente um período de férias, tornando-se assim uma data difícil para realizar atividades nas dioceses e paróquias com significativa participação dos fiéis, em 2018, a pedido de várias Conferências Episcopais, a data da celebração da jornada foi fixada no último domingo de setembro.

Para a mensagem desse ano o Papa Francisco escolheu o tema: “Rumo a um nós cada vez maior”. Em total sintonia com a carta encíclica Fratelli tutti em que nos convida a resgatar a nossa história de povo de Deus, no qual formamos uma só família humana. Cada pessoa, cada irmão importa, pois somos todos irmãos e irmãs. Não podemos, nem devemos deixar ninguém para trás. Para isso, nos desafia como sociedade a superar a separação entre um “nós” e os “outros”, para formar apenas um “nós” e cada vez maior.

Nossos Estados estão chamados a construírem leis e políticas públicas que garantam a acolhida digna às pessoas migrantes, assim como o acesso aos seus direitos e deveres. Nossas sociedades estão chamadas a destruírem as pontes que nos separam, para reforçar a cultura do encontro, do respeito à dignidade humana presente em cada pessoa. Nossas comunidades cristãs estão chamadas, cada vez mais, a viverem a prática da hospitalidade, como nos ensina Hb 13,1-2: “Conserve-se entre vós a caridade fraterna. Não vos esqueçais da hospitalidade, pela qual alguns, sem o saberem, hospedaram anjos”.

Pe. Agnaldo Júnior SJ (Colaborador da Rede Mundial de Oração do Papa – Brasil)

VikiRumo a um nós cada vez maior